Cartões De Visita, Para Que Vos Quero?

Os cartões de visita não são mais do que um pedaço de papel na dimensão correta para guardar numa carteira e exibem o nome de uma empresa, de um colaborador, uma morada, telefone, email e demais informações úteis. Servem para potenciar interesses comerciais e nunca se sentiram intimidados com espaços para contactos em sites, facebooks, emails e outros tais.

A ideia do cartão-de-visita surgiu na Europa no século XVII mas já tinha sido testada na China desde o século XV. Revelou-se não só útil para atividades comerciais como imprescindível para efetivar contatos pessoais com clientes, fornecedores e demais parceiros de negócios.

De lá para cá os cartões-de-visita subsistiram e continuam a ser distribuídos em reuniões de trabalho, feiras de negócios e demais situações sociais em que se possa promover um negócio.

Nem a globalização, nem as novas tecnologias, nem a web, nem a rapidez da era digital, nem os relacionamentos cada vez mais abertos e informais entre empresas e clientes, conseguiram destronar os cartões-de-visita!

Por isso, se não tem ou deixou de usar cartões-de-visita, talvez seja a hora de repensar a sua estratégia. Ainda que a sua profissão não o exija (por exemplo, se ganha a vida trabalhando online) no primeiro evento em que participar vai perceber a sua utilidade quando alguém lhe entregar um cartão com todas as informações e perceber que não tem nada para dar em troca.

Além do mais, o cartão-de-visita continua a ser visto como um dos elementos mais credíveis no leque de elementos de comunicação da empresa, além de recordar ao seu portador a lembrança do contato que teve consigo, no momento em que precisar de algo que lhe tenha oferecido.

cartões de visita

Por que é que deve (continuar a) usar cartões-de-visita?

1. Um cartão-de-visita distribui-se com rapidez e facilidade

Apesar do crescimento do uso de portáteis, smartphones, tablets, etc, nem sempre é rápido trocar informações por esse tipo de dispositivo e não há nada como ter um cartão-de-visita sempre à mão. Num encontro apressado num corredor, num elevador, à saída de uma reunião, na mesa de um café… são diversas as situações em que as novas tecnologias são destronadas por um pequeno pedaço de papel que pode ser entregue/trocado com imensa facilidade.

2. Um cartão-de-visita está sempre acessível

O cartão nunca está offline pela falta de rede de Internet ou sinal de telefone. E pode ser usado em lugares onde os dispositivos eletrónicos precisam de ser desligados, como voos.

3. Um cartão-de-visita pode mostrar a criatividade da sua empresa

Com um design inovador e arrojado, um cartão-de-visita pode atrair a atenção do seu contacto mais do que uma assinatura de email ou flyer publicitário. Além dos contatos da sua empresa, ele mostra a personalidade do negócio e pode assim impulsioná-lo.

4. Os seus interlocutores esperam um cartão-de-visita

A verdade é que dado o sucesso dos cartões-de-visita e o hábito enraizado de os utilizar amiúde, os seus contactos profissionais aguardam que lhe entregue o seu cartão. Sobrecarregados com emails e solicitações diversas nas redes sociais, eles verão o seu cartão como uma espécie de lembrete.

5. É a mais velha forma de autopromoção

Os cartões-de-visita foram das primeiras formas usadas pelas empresas para causar boa impressão e fazer autopromoção. Continue você também a investir nesta oportunidade para dar a conhecer a alguém a sua empresa.

E agora que já percebeu que deve começar ou continuar a usar um cartão-de-visita, que entendeu que nem vale a pena usar a famosa desculpa de que os cartões acabaram, pois isso só revela falta de organização e de logística pessoal, comece a pensar no design e stock dos seus cartões e saiba como e onde os deve distribuir.

Como deve pensar e usar os cartões-de-visita?

A. Não encomende grandes quantidades

Os cartões-de-visita não estão démodés mas a ideia de produzir 1.000 cartões iguais, está. Por um lado porque pouco tempo depois de os receber pode mudar de emprego, de telefone, de posto, etc, e verificar que deitou dinheiro à rua. Por outro lado, pode ir encomendando quantias pequenas para ir também alterando a informação e a imagem. Existem serviços na Internet onde pode personalizar os seus próprios cartões e encomendá-los a partir de 50 unidades sem dar uma grande facada no orçamento de marketing da empresa.

B. Conheça as finalidades de um cartão-de-visita:

  • Apresentar pessoas e empresas
  • Acompanhar o envio de presentes
  • Agradecer presentes
  • Aceitar convites escritos
  • Recusar convites escritos
  • Enviar condolências, felicitações e cumprimentos
  • Agradecer apoios
  • Substituir visitas
  • Acompanhar valores em dinheiro
  • Recordar um convite feito oralmente
  • Comunicar mudança de endereço, telefone, email, etc

C. Tenha os cartões sempre à mão

Não deve ter somente um cartão para entregar nem sair de casa, ainda que seja para um evento fora do âmbito profissional, sem alguns cartões-de-visita na carteira. Nunca se sabe onde pode começar um grande negócio.

D. Não entregue cartões desatualizados

Por vezes o número de fax mudou, o email já não é o mesmo, o seu cargo sofreu alterações… mas você insiste em continuar a distribuir cartões desatualizados ou (pior!) a riscar a informação errada emendando-a à mão, por cima do que está impresso. Errado! Um cartão-de-visita deve estar sempre atualizado para que não perca nem um possível contacto e não dê uma imagem desorganizada ou preguiçosa da empresa.

E. Não entregue cartões riscados ou dobrados

Se lhe restam apenas dois cartões-de-visita, um dobrado nas pontas e o outro riscado, é melhor guarda-los de recordação numa gaveta e encomendar sem demoras uma nova remessa. Lembre-se que a imagem e o estado do seu cartão são a imagem e o estado da sua empresa.

F. Troque cartões-de-visita de acordo com as regras protocolares

Não ignore os momentos chave para a troca de cartões-de-visita. Distribuir cartões aleatoriamente, sem olhar para a pessoa, sem um objetivo definido e bem a meio de uma conversa não vai trazer vantagens, apenas custos.

Se desconhece o momento correto para entregar o seu cartão-de-visita, ditam as regras que a troca deve partir da pessoa de estatuto mais elevado. Se desconhece o estatuto das pessoas com quem está reunido, aguarde que lhe peçam o cartão, como uma forma de dar continuidade à relação profissional.

G. Sempre que receber um cartão, deve:

  • Dispensar alguns segundos a ler o seu conteúdo porque essa é uma forma de associar o nome à pessoa e revelar interesse
  • Aproveitar para questionar a pessoa sobre eventuais contactos comuns dentro do âmbito profissional
  • Abster-se de tomar quaisquer notas no cartão que lhe entregaram. Isso é considerado falta de delicadeza

H. Deve entregar o cartão na mão

O cartão deve ser sempre entregue na mão da pessoa, segurado pela parte superior, entre o polegar e o indicador dobrado, com o nome posicionado de maneira que possibilite sua leitura imediata.

I. Nunca deixe um cartão-de-visita em cima da mesa

Evite a todo o custo esquecer-se de guardar o cartão recebido. Não há nada mais deselegante do que deixar o cartão em cima da mesa. Habitue-se a dar uma lida rápida e a guarda-lo juntamente com as suas coisas quando lho entregam.

Por último deve conhecer a lista das informações, dicas e sugestões a acatar para fazer um bom cartão-de-visita:

Conteúdo – Insira o nome e logotipo da empresa, o seu cargo, telefone, fax, e-mail, site da empresa e demais elementos de contacto que entender necessários, como página de Facebook.

Formato – Naturalmente há espaço para variação e criatividade neste item, mas há vantagem em escolher um formato padronizado porque isso facilita a vida a um cliente que consegue com facilidade colocar o seu cartão no porta-cartões ou noutro local apropriado.

Impressão – Faça o trabalho de impressão dos seus cartões numa gráfica. Mesmo que a sua impressora tenha uma qualidade de impressão extraordinária não vai ficar igual à impressão e recorte profissionais.

Criatividade – Pode ser criativo mas sem exagerar. Se tiver interesse e orçamento para investir nos cartões, pode usar uma cor de fundo que fuja do branco ou marfim, pode imprimir em plástico rígido ou num material de borracha, pode incluir mensagem em braille, arredondar cantos… o limite é a sua imaginação!

Exageros – A não ser que haja um design gráfico envolvido, tenha cuidado com os exageros na forma de variações tipográficas, cores vivas, fundos extravagantes, materiais incomuns, texturas, recortes, etc. Estes recursos devem ser usados com critério.

Revisão – Verifique uma e duas vezes se está tudo correto e bem escrito e ainda assim peça a outra pessoa que o faça também. Confira cada número, cada vírgula, cada acento, antes de mandar o cartão para a gráfica.

Destaques – É importante destacar o seu nome. O único elemento do cartão que pode ser mais visível do que o seu nome é o logotipo da empresa.

E para finalizar, cuide bem dos seus cartões, se possível usando um estojo adequado para o efeito, chamado de porta cartões e fácil de encontrar em qualquer papelaria, e prepare-se para continuar a dar andamento a esta que é uma das formas mais antigas de autopromoção do mundo.

Print Friendly, PDF & Email

About The Author

Sofia Santos

Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação, exerce atualmente a atividade de Técnica de Marketing na PC.Clinic. Adora as estratégias online para difusão de marcas, produtos e serviços de empresas mas gosta mais ainda de as usar para ir ao encontro dos desejos e necessidades dos consumidores mais exigentes. Pelo meio não consegue largar a produção de conteúdos de qualquer género e em qualquer tipo de suporte. Para ela escrever é dançar com as letras. É brilhar, rodopiar, suar, cansar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *