10 Etapas para criar um e-commerce e vender na maior loja do mundo!

criar um e-commerce

Saiba como criar um e-commerce e começar a vender na maior loja do mundo!

Com cada vez mais portugueses a fazerem compras online, é natural que cada vez mais empreendedores queiram criar um e-commerce para começar a vender produtos e serviços remotamente. Mas seja para poderem ficar de pijama a trabalhar a partir de casa, seja para desenvolverem em equipa uma marca, importa perceber quais as etapas para começar a vender na maior loja do mundo. Porque ter um computador com acesso à internet é fundamental, mas não basta!

Decidiu criar um e-commerce para acrescentar uns euros ao seu ordenado ou mesmo dar um novo rumo à sua vida profissional? Fez muito bem! O comércio eletrónico em Portugal continua a crescer, dando excelentes perspetivas para quem quer aproveitar a Internet para começar a ganhar dinheiro, sem grande necessidade de investir. Ainda assim, e apesar do panorama ser positivo, a criação de um e-commerce implica algum planeamento e para o guiar ao longo destes primeiros tempos da sua aventura na web, listámos 10 etapas para criar um e-commerce que deve conhecer e seguir para difundir a sua marca naquela que é, sem dúvida, a maior loja do mundo!

1ª Etapa para criar um e-commerce: escolher o produto/serviço que vai vender

Antes de escolher uma plataforma de e-commerce, antes de definir o seu público-alvo e adjudicar matéria-prima a fornecedores, tem de decidir o que vai vender! Se já sabe, pode passar à próxima etapa, mas se ainda está indeciso, siga o nosso conselho: escolha um produto ou serviço que seja vendável pela Internet e que tenha algo a ver com os seus interesses, gostos pessoais e/ou formação académica e profissional.

20 Ideias para ganhar dinheiro extra na Internet? Clique aqui!

2ª Etapa para criar um e-commerce: escolher um domínio para a loja virtual

Assim como uma loja física precisa de um espaço para vender, uma loja online também precisa de um sítio na web para receber os clientes, ou seja, um domínio, aquela página que vai servir para os utilizadores e motores de busca a localizarem e identificarem na Internet. Mas escolha um tipo de domínio que esteja relacionado com o produto/serviço que vai vender e prefira nomes simples e de fácil memorização, por exemplo: www.lojadosanimais.pt ou www.livrosecompanhia.com.

3ª Etapa para criar um e-commerce: escolher a plataforma mais ajustada ao seu negócio

Depois de escolher e registar o domínio, é hora de pesquisar por um local onde guardar toda a sua informação de forma a que a sua loja virtual esteja sempre acessível. Para tal, deve procurar identificar o tipo de plataforma que mais convém ao seu negócio. Há duas formas práticas de começar a construir um e-commerce: desenvolver a sua loja online num modelo do-it-yourself numa plataforma terceirizada ou escolher um software de e-commerce com desenvolvimento e alojamento próprio. Tudo depende do grau de personalização que pretende ou que necessita para começar a vender na Internet: de lojas perfeitamente funcionais ao jeito “faça você mesmo” – e que nem exigem grandes conhecimentos de programação! – a lojas exclusivas, feitas por agências de web design.
E não se esqueça de verificar que meios de pagamento consegue configurar nessa plataforma de e-commerce, pois quanto mais opções tiver, melhor: transferência bancária, referencia multibanco, cartão de crédito, Paypal…

A PME tem um serviço sitebuilder ou “faça você mesmo”, muito rápido e fácil de usar, e com todas as funcionalidades que o seu e-commerce precisa para atrair e reter clientes!

4ª Etapa para criar um e-commerce: investir na segurança

Por trabalhar com dados pessoais sensíveis (informações sobre contas bancárias, por exemplo), necessita de garantir a segurança na plataforma de e-commerce e isso significa que além de um sistema de segurança comum a qualquer loja online, deve possuir um sistema antifraude para detetar problemas no pagamento e certificado SSL (Secure Socket Layer) que zele pela segurança das informações facultadas pelos seus clientes.

5ª Etapa para criar um e-commerce: pesquisar sobre legislação portuguesa para e-commerce

Existem normas e leis para e-commerce em Portugal que deve conhecer antes de abrir a sua loja online, nomeadamente:

  • Lei do e-commerce (Decreto-lei 7/2004)
  • Lei dos preços e reduções de preços (Decreto-Lei 138/1990 e Decreto-lei 70/2007)
  • Lei do consumidor (Lei 24/1996)
  • Lei da proteção de dados pessoais e proteção de dados e privacidade nas comunicações eletrónicas (Lei 67/1998 e Lei 46/2012)
  • Lei dos contratos código do direito de autor (Decreto-lei 63/1985)
  • Código da Publicidade (Decreto-lei 330/1990).

6ª Etapa para criar um e-commerce: definir o seu público-alvo

Agora que está quase tudo pronto para começar a vender online, é tempo de definir o seu público-alvo: quem são os seus potenciais clientes?

Se não conhecer o tipo de pessoas que têm interesse no seu produto ou serviço (sexo, idade, zona de residência, ocupação, interesses, necessidades…) não consegue comunicar de forma assertiva através das estratégias de marketing digital mais adequadas aos seus clientes.

7ª Etapa para criar um e-commerce: escolher os melhores fornecedores

É claro que para encetar o seu negócio na Internet, precisa de criar, à partida, parcerias e contratar fornecedores, não é verdade? Pois, pesquise e escolha fornecedores de confiança que ofereçam uma boa relação custo/benefício. E mostre aos seus potencias fornecedores que a sua empresa é pequena, sim, mas vai crescer. E eles podem crescer com ela!

8ª Etapa para criar um e-commerce: construir um bom sistema de logística

Comprar online, como sabe, significa encomendar e pagar por um produto que só mais tarde poderá ver e tocar (ou usufruir), isso se não vender produtos digitais, claro. Logo, e de forma a dar segurança aos seus clientes, convém ter um sistema de logística bem implementado, com uma distribuição eficaz. Isso implica garantir stock, mas também zelar pela entrega atempada dos produtos, de acordo com a opção ou as opções de transporte disponíveis na sua loja online. O correio é a forma mais usada para o transporte das encomendas em território nacional, não só pela sua rapidez, mas também pelo preço acessível. Mas convém considerar transportadoras e até, se tiver uma loja física, a possibilidade de o cliente ir buscar o produto lá e poupar no transporte.

9ª Etapa para criar um e-commerce: apostar no atendimento online

Um bom canal de atendimento ao cliente é crucial para impulsionar as vendas online, já que numa loja virtual, ao contrário de uma loja física, o cliente não tem a possibilidade de pegar no produto ou pedir esclarecimentos diretamente ao vendedor. Por isso, na Internet é preciso investir em canais de comunicação bem visíveis e acessíveis, como um chat incluído na sua plataforma de e-commerce ou mesmo um atendimento imediato via redes sociais como Facebook, Instagram e WhatsApp.

10ª Etapa para criar um e-commerce: investir em marketing digital

Se o seu negócio vai funcionar através da Internet, não tem outra opção senão investir em marketing digital para difundir a sua marca. De outra forma, é como estar a vender de portas fechadas. Por isso, a última etapa para criar um e-commerce é definir as melhores formas de comunicar com o seu público e colocá-las em prática logo que a sua loja esteja pronta, ou mesmo antes de a pôr online!

Em primeiro lugar, deve elaborar um plano de marketing digital para e-commerce que contemple as melhores estratégias para vender os seus produtos ou serviços, identificando as forças, fraquezas, ameaças e oportunidades do seu negócio de modo a perceber onde tem de empreender mais esforços, e identificando também as forças e fraquezas da sua concorrência.

De seguida, tem de criar e desenvolver as estratégias nomeadas no seu plano de marketing digital para e-commerce de forma a atrair e reter clientes, nomeadamente:

  • Campanhas no Google Ads e Facebook Ads
  • Produção de conteúdos relevantes, otimizados com SEO
  • Gestão de redes sociais
  • Construção de landing pages
  • Envio de email marketing
  • Medição de resultados em tempo real

Por fim, não se esqueça de que mesmo que tenha um excelente produto ou serviço, sem marketing digital… não tem vendas! E isso porque de nada serve ter um bom produto ou serviço se não souber a quem e como vendê-lo, não é verdade? É nesse sentido que, depois de seguir as 9 primeiras etapas para começar a vender na Internet, apontadas neste artigo, deve ficar-se pela 10ª e última, continuamente, para melhorar a sua presença online e conquistar cada vez mais clientes.

Call-to-action

Antes de sair, aproveite para conhecer também as 5 tendências de marketing digital para 2020.

Sobre Sofia Santos
Sofia Santos
Para ela escrever é dançar, rodopiar, suar, cansar, brilhar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar!

Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação.

Certificada em Content Marketing e Inbound Marketing pela HubSpot Academy.

Lançou o projeto Conteúdo & Manteúdo - de produção profissional de conteúdos para web – com a missão de melhorar o posicionamento da informação dos negócios nos motores de pesquisa, atrair um público-alvo específico, aumentar o número de acessos e partilhas, fidelizar leitores, ampliar a visibilidade e autoridade das empresas e, claro, conquistar clientes e torná-los clientes fiéis!

No fundo o seu objetivo é redigir artigos que possam interessar e oferecer soluções para os problemas dos clientes… dos seus clientes!
Deixe um Comentário