Não Há Líder Sem Inteligência Emocional

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Inteligência Emocional Na Liderança

Através do estudo de doentes com traumas no cérebro, o Prof. António Damásio concluíu que, quando as ligações entre os centros de processamento das emoções e os das decisões são danificados, o doente, mesmo que mantenha a inteligência e a memória intactas, fica severamente diminuído na capacidade de tomar decisões práticas na sua vida social e do dia e dia.

traumatismo craniano

A cada opção no nosso futuro imediato associamos determinados estados emocionais e sensoriais do nosso corpo, quer positivos, quer negativos, na sequência de toda a experiência social e individual anterior. Sem esta capacidade de anteciparmos esse futuro estado emocional e sensorial de cada opção potencial, ficamos perdidos no mar de opções abstractas e sem qualquer significado subjetivo, incapazes de atribuir um potencial de recompensa ou de castigo a cada uma desssas opções e de avaliar a respetiva vantagem ou desvantagem prática. Não temos memória emocional.

input sensorial

Para além destes casos patológicos, onde existe um trauma, causado por um acidente, um ato violente ou um cancro por exemplo, cada um de nós tem uma inteligência emocional maior ou menor, QE (Quoficiente Emocional), que determina a nossa capacidade de decisão.

O Quoficiente Emocional é a medida do reconhecimento das nossas próprias emoções e dos outros e a consequente gestão e expressão de emoções na ação individual e social. Nem sempre estamos conscientes da emoção que está a delimitar a nossa ação e demasiadas vezes não somos capazes de olhar para a expressão facial e corporal doutra pessoa e associar corretamente a emoção correspondente. Outras vezes, conhecemos a emoção, nossa e do outro, mas agimos sem a contenção necessária para negociar a melhor solução, quer nas reações do nosso próprio corpo, quer na relação com os outros.

quoficiente emocional

Nas experiências rudes que vivemos nas cidades digitais, a pressão para nos adaptarmos, decorrente das mudanças rápidas e brutas no ambiente, aumentou substancialmente, o que torna crítico que cada um de nós saiba gerir as suas emoções. Mas, noto e reitero que não se trata apenas de gerir essas emoções. É preciso conhecê-las. Nem sempre sabemos a emoção que estamos a sentir. Ou a emoção que o outro está a sentir. E abusamos do convicção que sabemos. Muitas vezes, o primeiro problema a enfrentar é essa dissonância cognitiva entre o que pensamos que sabemos e o que efetivamente sabemos.

dissonância cognitiva

Uma empresa é uma organização de pessoas, onde cada pessoa decide ações no âmbito da sua competência e responsabilidade, incluindo decisões sobre a relação com colegas de trabalho, fornecedores e clientes, que afetam as emoções dessas pessoas. O que cada uma destas pessoas sente em relação a essas interações determina o grau de comprometimento de cada trabalhador e de satisfação de cada cliente com a empresa.

Se uma organização de pessoas, para outras pessoas, está dependente da competência dos seus trabalhadores de conhecerem e gerirem emoções, temos que reconhecer a importância do Quoficiente Emocional, enquanto indicador do potencial desses indivíduos para cumprir as suas funções com sucesso.

Um estudo da Talent Smart descobriu que 90% dos trabalhadores com maior produtividade tinham um QE elevado, enquanto 80% dos trabalhadores com menor produtividade tinham um QE baixo.

pessoas

E, por maioria de razão, o líder dessa organização, de cada grupo de trabalho nessa organização, peça fulcral para direcionar a ação de cada membro do grupo no sentido dum objetivo comum, é necessariamente uma pessoa com um QE elevado, dado que precisa de influenciar o comportamento das pessoas que lidera positivamente.

Num grupo de trabalho, o stress pode causar uma sobrecarga de emoções negativas. Um líder precisa de retirar toda a informação emocional e relevante de cada interação pessoal e social de modo a reconhecer todas essas emoções negativas, incluindo as suas, de ser capaz de encontrar as melhores soluções para gerir essas emoções, através do seu exemplo de contenção, de regulação das suas emoções, da comunicação dessas soluções para e entre os membros desse grupo, da motivação das ações individuais, da empatia e simpatia pelo outro, da construção dum ambiente de confiança e de co-responsabilização, para integrar o individual no coletivo, envolvendo cada trabalhador nos objetivos da empresa

influenciar

Cada um de nós pode desenvolver um plano individual desenhado para aumentar o respetivo quoficiente emocional, devido à plasticidade do cérebro.

A comunicação intrapessoal é fundamental. Quem não é capaz de cuidar de si próprio não pode ter qualquer expetativa de influenciar os outros.

mau exemplo

Através da autocrítica, podemos fazer uma análise introspectiva das nossas emoções, diferenciá-las, ficar consciente de quais e como essas emoções afetam as nossas decisões e ações e avaliar os nossos pontos fortes e fracos.

Aristófanes, dramaturgo grego, satiriza o filósofo Sócrates, na peça As Nuvens. Um dos personagens, um pai, diz ao filho: “E você conhece a si mesmo, o quanto ignorante e estúpido você é”. Não vou comentar a crítica do Aristófanes aos sofistas e a Sócrates em particular. Cito a frase para refletir sobre o número de vezes que fui ignorante e estúpido, convencido que sabia e estava a ser inteligente. Precisamos de saber quem somos, para superarmos as nossas limitações e sermos melhores do que somos.

conhece-te a ti mesmo

Mas, não é suficiente saber. Precisamos de controlar as nossas emoções, para decidir e agir em função desse conhecimento. É importante conhecermos o mecanismo fisiológico do stress, de que forma é que afeta o nosso corpo, quando é que os nossos músculos ficam tensos, que alterações é que ocorrem no nosso ritmo respiratório e quais as técnicas de relaxamento, de alongamento dos músculos, de respiração, de visualização, entre outras, que podemos usar para aprender a domar o nosso próprio corpo.

É tão bonita a ideia de que somos pessoas através doutras pessoas. Como é que se constroem essas relações pessoais e sociais de interdependência, onde cada indivíduo é influenciado e afeta o todo?

Com empatia e simpatia. Por empatia, entendo a capacidade do eu de ler o outro, de tal modo que identifica as emoções que o outro está a sentir. O eu tem memória de situações da sua experiência pessoal e social onde sentiu aquele mesmo estado emocional do outro e é capaz de ver o mundo pelo olhar do outro. Simpatia, o eu sente com o outro, há uma relação de partilha de emoções através da qual o eu é afetado pelo outro e oferece o seu afeto ao outro.

Tanto a empatia, como a simpatia, são ferramentas que um líder deve usar para decidir e executar, em cada situação, as melhores soluções para o grupo, agindo muitas vezes com a empatia dum médico, que sabe, mas não pode ser afetado e afetar o outro, mas sem ignorar os momentos adequados para partilhar as suas emoções com o grupo, pela simples razão que o líder é membro do grupo e não pode estar separado do grupo. Lidera de dentro do grupo.

simpatia

Ainda este semana conversei com um estudante de Psicologia sobre as diferenças entre empatia, simpatia e compaixão. A ciência ensina tanto com tão antigas palavras…

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Procura

ARTIGOS POPULARES

10 Etapas para criar um e-commerce e vender na maior loja do mundo!

Ter um computador com acesso à internet é fundamental, mas não basta para começar a vender na maior loja do mundo. Conheça as 10 etapas para criar um e-commerce, aqui!

Como abrir uma loja virtual em Portugal

Da legislação ao software de faturação, passando por uma série de especificações técnicas! Tudo o que precisa de saber para abrir uma loja virtual em Portugal!

12 Passos Para Abrir Uma Loja Online

Hoje em dia, esteja onde estiver e seja a que horas for, desde que tenha acesso à Internet, pode entrar numa loja online, colocar um produto no carrinho de compras, pagar e aguardar a entrega na comodidade do lar. Assim, motivos não lhe faltam para desejar abrir uma loja virtual.

Como Vender No Ebay Passo A Passo

Saiba como vender no ebay passo a passo Vender no eBay, na empresa de comércio eletrónico mais conhecida no mundo, é semelhante a vender

25 Ideias Para Criar Uma Pequena Empresa

Investimento reduzido + espírito empreendedor = negócio rentável Se tem interesse em abrir um negócio lucrativo mas pouco dinheiro para investir, não esmoreça.

Como Abrir Uma Loja Na Internet

Saiba como abrir uma loja na Internet. Vantagens e benefícios de uma loja na Internet. Além de ser uma solução fácil de implementar e gerir, uma loja online apresenta inúmeras vantagens

Como dominar um teste psicotécnico antes que ele o domine a si

Os testes psicotécnicos são uma ferramenta de seleção utilizada em todo o mundo em processos de recrutamento de candidatos para um trabalho, geralmente antes de ser realizada uma entrevista.

A Importância Da Comunicação

Tanto em família como em negócio, não dar importância à comunicação significa perder oportunidades de construção de um bom relacionamento.

Como Abrir Uma Empresa Online?

Para que seja mais fácil abrir uma empresa online e gerar um desenvolvimento económico, o Portal da Empresa desenvolveu ferramentas que permitem criar, de forma simples e segura, empresas online.

Como Criar Uma Empresa Da Forma Tradicional Passo A Passo

O método Tradicional de criação de uma empresa é o mais demoroso, pressupõe várias deslocações e uma atenção acrescida. Contudo, tem a vantagem do contacto pessoal e da facilidade de esclarecimento de dúvidas.

Conteúdo

Não Há Líder Sem Inteligência Emocional

Usamos cookies para que o site funcione corretamente, personalizar conteúdo e anúncios e para analisar o nosso tráfego.
Consulte a nossa política de privacidade.