Como usar o copywriting para vender mais

copywriting

Alguns empresários ainda desconhecem a verdadeira importância do copywriting nas suas estratégias de marketing digital. Acontece que, como ainda não leram este artigo, acabam por investir em publicidade paga e outros recursos online, para conquistar cada vez mais clientes, quando a redação de artigos relevantes, interessantes e criativos para os seus sites, blogs e redes sociais (também) pode trazer excelentes resultados!

O que é copywriting?

Antes de passarmos àquilo que verdadeiramente lhe interessa, usar o copywriting para vender mais, temos de explicar o que é copywriting, sim? Ora, este é o termo usado para definir o trabalho de produção de textos com o objetivo de realizar uma venda, promover um produto, um serviço, uma pessoa, uma ideia ou um negócio. A ideia do copywriting é levar o leitor a uma tomada de decisão que pode estar relacionada com a compra direta, mas também com qualquer outra ação. Apesar de visar, como objetivo último, a conversão em vendas ou o lucro de uma empresa, a arte do copywriter é a de escrever e não a de vender, até porque usualmente as estratégias de marketing digital não têm por objetivo realizar a venda do produto de uma só vez, mas sim influenciar a audiência a realizar uma ação. E essa ação pode ser, simplesmente, assinar uma newsletter, entrar em contato telefónico, encaminhar um email, partilhar um conteúdo em redes sociais, etc.

Como funciona o copywriting?

Para explicar como funciona o copywriting, é necessário recuar até aos propósitos da escrita, sendo que um deles – relacionado com o marketing – é convencer o público-alvo de algo: seja comprar um produto, aderir a um serviço ou mesmo a uma ideia. Nesse sentido, o objetivo de um copywriter relaciona-se estreitamente com o objetivo do marketing, mais especificamente do Content Marketing que dita que mais importante do que vender, é informar o público-alvo. Informação que este queira ler e que agregue valor. Assim, o trabalho de um copywriter deve concentrar-se na produção de textos capazes de sensibilizar os leitores, envolvê-los e até oferecer soluções para os seus problemas ou dúvidas.

Aproveite para conhecer também as 10 ferramentas para seguir o marketing de conteúdo da concorrência.

Como usar o copywriting para vender mais?

Há alguns conhecimentos e técnicas essenciais para se fazer um marketing de conteúdo capaz de atrair mais consumidores e por isso vamos-lhe listar de seguida as dicas fundamentais para usar o copywriting para vender mais na sua empresa.

1. Defina objetivos

Antes de começar a escrever os seus conteúdos, defina os seus objetivos por artigo. Sem conhecer os seus objetivos, pode estar a produzir conteúdo de qualidade, mas que não vai atingir resultados. Assim, cada texto de copywriting precisa de cumprir um objetivo dentro do chamado funil de vendas, processo que consiste em conduzir ou acompanhar o cliente a partir do momento em que ele toma conhecimento de uma solução vendida pela sua empresa até ao momento em que a compra.

Exemplos de objetivos: aumentar o número de visitas orgânicas, percentagem de leads, número de downloads de um ebook, número de subscritores de uma newsletter e até aumentar as vendas!

2. Conheça o seu público-alvo

Se não conhecer o seu público, só por sorte é que o seu trabalho de copywriting terá uma boa percentagem de leitores! É que não basta escrever artigos conformes aos objetivos traçados pela sua empresa, há que torná-los interessantes para o seu público e a regra em content marketing é conhecê-lo (quem são essas pessoas? Quais as suas necessidades? Desejos? Problemas?) para lhes adequar os conteúdos, ou seja, para escrever sobre matérias que essas pessoas têm interesse em ler.

Peça também ao seu departamento de marketing digital, o perfil da sua persona ou buyer persona, um perfil que representa o cliente ideal de uma empresa, criado para ajudar a compreender melhor quem é o cliente e o que é que ele precisa.

Exemplo: A PME sabe que os leitores do seu blog são empreendedores modernos, atualizados e interessados em expandir os seus negócios no digital e por isso acredita que um artigo sobre copywriting, como este, os pode atrair.

3. Concentre-se nos problemas dos seus potenciais clientes

Respeitando a dica anterior, ficará apto a atrair o seu público-alvo por uma razão muito simples: mostrou-lhe que sabe quais são as suas “dores” e que até tem uma solução para elas. E é mais frequente as pessoas comprarem um produto ou aderirem a um serviço para resolver um problema, do que apenas para terem um item diferente. Acredite! Dai que a dica número três seja precisamente o foco nos problemas dos clientes nos seus trabalhos de copywriting e, consequentemente, a apresentação da solução.

Exemplo: A PME percebeu que os leitores do seu blog têm interesse em desenvolver uma presença online mais efetiva e com retorno, e por isso desejam ler conteúdos relevantes sobre temas diversos relacionados com o marketing digital, entre eles conteúdos sobre copywriting. E dentro dos conteúdos sobre copywriting, dicas sobre como o fazer!

4. Coloque bons títulos

Como sabe, o título é o primeiro contacto entre o seu texto e os seus potenciais leitores. Se ele for atrativo e objetivo, chama a atenção e o leitor fica interessado e acaba por prosseguir com a leitura. Mas se não conseguir chamar a atenção, se não se focar nas tais ”dores” dos consumidores, não terá leitores (por muito pertinente que o conteúdo seja). Por isso, procure pela ou pelas palavras-chaves mais relevantes e coloque-as no título.

Exemplo: A PME usou o título “como usar o copywriting para vender mais” de modo a indicar aos seus leitores o tema do texto (copywriting) e a vantagem em ler o conteúdo (como usar para vender mais).

5. Pesquise pelas melhores palavras-chave

O copywriting é fundamental para a otimização de um site ou blog nos resultados dos motores de busca, como o Google. Todos os textos precisam ser bem trabalhados a nível de estratégias SEO (Search Engine Optimization). Por isso, deve efetuar pesquisas para palavras-chave, principalmente as de cauda longa (formadas por três ou mais palavras) que possam ajudar a melhorar o posicionamento da sua empresa na web (principalmente através da pesquisa orgânica, mas também via publicidade paga).

6. Escreva de acordo com as diferentes fases da Buyer’s Journey

Como nem todos os seus potenciais clientes estão na mesma fase ou etapa de compra, deve elaborar conteúdos diferentes para cada uma dessas fases da Buyer’s Journey (jornada do cliente) que é o caminho percorrido por um cliente, desde a tomada de consciência de que tem um “problema” por resolver, passando pela pesquisa de soluções possíveis e terminando na compra de um produto/serviço:

  • Fase de conhecimento, em que o prospect percebe que tem uma necessidade por satisfazer e começa a fazer uma pesquisa no sentido de compreender qual será a solução mais indicada.
  • Fase de consideração, em que o potencial cliente já definiu claramente o seu problema ou oportunidade e está a pesquisar para compreender todas as soluções possíveis para resolver a questão.
  • Fase de decisão, em que o potencial cliente decidiu qual vai ser a abordagem; pesquisa pelo produto ou serviço que necessita em vários sites de diferentes empresas; faz comparações e acaba por tomar a decisão final de compra, tornando-se cliente de uma empresa!

7. Zele pela facilidade de leitura

Claro que para o seu conteúdo ter sucesso, é necessário que o seu artigo esteja bem escrito e tenha uma estrutura ajustada à web. Por isso…

  • Escreva de uma forma fácil de ser lida. A PME, por exemplo, usa parágrafos curtos, letra legível, imagens, listas e pontos para dividir o assunto em tópicos para facilitar a leitura.
  • Use de persuasão para que as pessoas o leiam até ao fim e, a seu tempo, acabem por comprar o seu produto/serviço.
  • Seja claro e objetivo. A PME, por exemplo, resolveu escrever sobre como vender mais através do copywriting e efetivamente está a explicar como e por que é que o deve fazer numa linguagem clara. E o facto de ainda estar a ler este artigo, confirma a importância desta dica.
  • Opte por estratégias de storytelling (contar uma história com final feliz).
  • Leve à ação com call-to-actions que direcionem os leitores, no final do artigo, para uma outra matéria: do “clique aqui para saber mais” a um link para inscrição numa newsletter, download de um ebook, loja online, formulário de contacto, etc.

Se esta lista lhe está a parecer extensa, clique neste infográfico e saiba como fazer marketing de conteúdo em apenas 3 dicas!

1. Meça os resultados

O trabalho de copywriting não termina quando o texto é publicado, a análise dos resultados também tem de ser observada, de modo a que consiga perceber se o artigo em causa atingiu o seu objetivo. E, caso não tenha atingido, perceber o que fazer para melhorar através dos dados fornecidos pelas ferramentas de monitorização, tais como número e tipo de visitantes diários e/ou visualizações de determinado artigo publicado.

Não é complicado usar o copywriting para vender mais, mas não se sinta obrigado a delegar as suas funções de gestão para começar a escrever conteúdos para o seu site e blog. Confie este trabalho a uma equipa especializada em Content Marketing que lhe garanta resultados. Boa sorte!

Sobre Sofia Santos
Sofia Santos
Para ela escrever é dançar, rodopiar, suar, cansar, brilhar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar!

Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação.

Certificada em Content Marketing e Inbound Marketing pela HubSpot Academy.

Lançou o projeto Conteúdo & Manteúdo - de produção profissional de conteúdos para web – com a missão de melhorar o posicionamento da informação dos negócios nos motores de pesquisa, atrair um público-alvo específico, aumentar o número de acessos e partilhas, fidelizar leitores, ampliar a visibilidade e autoridade das empresas e, claro, conquistar clientes e torná-los clientes fiéis!

No fundo o seu objetivo é redigir artigos que possam interessar e oferecer soluções para os problemas dos clientes… dos seus clientes!
Deixe um Comentário