Bem-vindo ao pme.pt

Apoio Digital para o Crescimento da Sua Empresa: Transforme a Sua Presença Online de Forma Fácil e Acessível

Como a Shrinkflation Está a Mudar o Que Compramos

Descubra como a redução invisível dos produtos está a mudar o mercado e o que isso significa para a sua empresa.

Imagine-se a sair do supermercado com o seu carrinho cheio de compras, ao chegar a casa, começa a arrumar tudo e nota algo estranho, então não é que o pacote de batatas fritas que costumava durar uma semana agora acaba em três dias. Mas, espere lá, o preço é o mesmo! Bem-vindo ao mundo da shrinkflation, onde o tamanho dos produtos encolhe, mas os preços não. Este fenómeno tem impacto nos consumidores e nas empresas de todo o mundo, e neste artigo vamos tentar explorar o que isso significa para si e para as pequenas e médias empresas (PMEs).

A shrinkflation, também conhecida como reduflação, é uma táctica que os fabricantes utilizam para combater os custos crescentes de produção sem aumentar diretamente os preços. Em vez disso, eles reduzem o tamanho ou a quantidade dos produtos, mantendo o mesmo preço. Esta prática tem sido cada vez mais comum, especialmente em tempos de inflação, esta estratégia tem sido amplamente adotada por várias indústrias, desde alimentos até produtos de higiene .

Definição e Origens da Shrinkflation

A shrinkflation, uma combinação das palavras inglesas “shrink” (encolher) e “inflation” (inflação), refere-se à prática de reduzir o tamanho ou a quantidade de um produto enquanto o preço mantem-se inalterado. Esta estratégia permite que os fabricantes economizem custos em tempos de inflação ou aumento de despesas de produção, sem que os consumidores percebam imediatamente o aumento efetivo no preço por unidade.

A origem da shrinkflation remonta a várias décadas atrás, mas tornou-se mais prevalente em períodos de instabilidade económica, este fenómeno foi observado pela primeira vez durante a Segunda Guerra Mundial, quando a escassez de matérias-primas forçou os fabricantes a diminuir o tamanho dos produtos. Na era moderna, a shrinkflation ressurgiu como uma resposta às crises económicas e às flutuações dos preços das matérias-primas.

Este conceito não é apenas uma curiosidade económica, é uma realidade com a qual nos deparamos frequentemente nas prateleiras dos supermercados, se já notou que a sua barra de chocolate favorita não dura tanto quanto antes, ou que o pacote de batatas fritas parece mais leve, provavelmente foi “vítima” da shrinkflation. Uma investigação da Senate Agriculture Committee dos Estados Unidos revelou que muitos produtos alimentares populares passaram por reduções de tamanho significativas nos últimos anos.

Exemplos de Shrinkflation no Mercado Atual

A shrinkflation é uma prática que se tornou tão comum que, muitas vezes, passa despercebida pelos consumidores, no entanto, uma análise mais atenta revela diversos exemplos desta táctica em ação, especialmente no sector alimentar.

Produtos Alimentares

Um dos exemplos mais clássicos é o das barras de chocolate, quem não se lembra das generosas barras que comprávamos antigamente? Hoje em dia, essas mesmas barras diminuíram de tamanho, mas o preço manteve-se o mesmo, ou até aumentou, o mesmo se aplica a pacotes de batatas fritas, que encolheram consideravelmente nos últimos anos, a shrinkflation tem afetado produtos de confeitaria e snacks, com pacotes a conterem menos quantidade por um preço igual ou superior ao anterior.

Bebidas

As bebidas também não escapam a esta tendência, garrafas de sumo e refrigerantes, que costumavam ter 2 litros, agora são frequentemente vendidas com 1,75 litros, mantendo o preço inalterado. Esta redução pode parecer insignificante, mas faz uma diferença considerável quando acumulada ao longo do tempo e em grandes volumes de venda.

Produtos de Higiene Pessoal

Mesmo fora do setor alimentar, a shrinkflation está presente, produtos como papel higiénico, pasta de dentes e detergentes têm sido ajustados. Pacotes de papel higiénico podem parecer idênticos, mas uma análise mais detalhada revela que o número de folhas por rolo foi reduzido, muitas marcas de higiene pessoal têm adoptado esta prática para mitigar o impacto dos custos de produção crescentes.

Casos Internacionais

A shrinkflation não é um fenómeno exclusivo de Portugal, em todo o mundo, consumidores estão a notar estas mudanças. Nos Estados Unidos, o fenómeno tem sido amplamente documentado, com produtos alimentares e de consumo diário a sofrerem reduções. Um estudo publicado pela Corporate Finance Institute mostra que a shrinkflation é uma resposta direta às pressões económicas globais e às mudanças nos preços das matérias-primas.

Impacto nas Pequenas e Médias Empresas

A shrinkflation não afeta apenas os consumidores, também tem um impacto significativo nas pequenas e médias empresas (PMEs), estas empresas, muitas vezes com margens de lucro mais apertadas do que as grandes corporações, precisam de navegar cuidadosamente por este fenómeno para manter a sua competitividade e a confiança dos consumidores.

Custos de Produção

Para as PMEs, a shrinkflation pode ser uma tática necessária para sobreviver. Quando os custos das matérias-primas aumentam, reduzir o tamanho dos produtos pode ser uma forma de evitar subir os preços e afastar os clientes, contudo, esta estratégia deve ser aplicada com cautela. Uma diminuição demasiado evidente no tamanho dos produtos pode levar a uma reação negativa dos consumidores e a uma possível perda de reputação.

Percepção do Consumidor

A confiança dos consumidores é um ativo crucial para qualquer negócio, quando os consumidores percebem que estão a pagar o mesmo por menos produto, podem sentir-se enganados. As PMEs precisam de gerir esta perceção cuidadosamente, transparência é fundamental, comunicar abertamente sobre os desafios económicos e as razões por trás das mudanças nos produtos pode ajudar a manter a lealdade dos clientes.

Competitividade no Mercado

Em mercados altamente competitivos, como o setor alimentar, a shrinkflation pode ser uma faca de dois gumes, por um lado, permite que as PMEs mantenham os preços competitivos sem sacrificar a margem de lucro. Por outro, se os concorrentes não adotarem a mesma estratégia, uma empresa pode parecer menos vantajosa aos olhos dos consumidores, algumas marcas conseguiram manter a sua reputação intacta apesar da redução de tamanho dos produtos, mostrando que a forma como a shrinkflation é implementada pode fazer toda a diferença.

Estratégias de Marketing

As PMEs podem utilizar várias estratégias para mitigar os efeitos negativos da shrinkflation, reformular os produtos para adicionar valor de outras formas, como ingredientes de melhor qualidade ou funcionalidades adicionais, pode ajudar a justificar a mudança, investir em marketing e branding para destacar esses novos valores também pode ser uma abordagem eficaz.

Casos Práticos

Por exemplo, uma pequena padaria pode reduzir o tamanho das suas baguetes para lidar com o aumento do custo da farinha, mas pode simultaneamente introduzir novos sabores ou melhorar a apresentação dos produtos para manter o interesse dos clientes, esta abordagem mostra que a shrinkflation, quando bem gerida, pode ser integrada numa estratégia mais ampla de inovação e melhoria contínua.

Estratégias para Lidar com a Shrinkflation

As PMEs enfrentam o desafio de gerir os custos crescentes sem alienar os consumidores através da shrinkflation, no entanto, existem várias estratégias que podem adotar para mitigar os efeitos negativos desta prática e até transformar este desafio numa oportunidade para inovar e fortalecer a sua marca.

Transparência com os Consumidores

A comunicação transparente é fundamental, os consumidores apreciam a honestidade e a clareza. Explicar as razões por trás das reduções de tamanho dos produtos, como o aumento dos custos de matérias-primas, pode ajudar a manter a confiança dos clientes. Pode-se, por exemplo, incluir notas informativas nos rótulos dos produtos ou através de campanhas de marketing nas redes sociais.

Adicionar Valor ao Produto

Uma forma eficaz de compensar a redução de tamanho é adicionar valor de outras maneiras. Melhorar a qualidade dos ingredientes, introduzir novos sabores, ou oferecer embalagens mais atrativas são algumas das opções. Desta forma, os consumidores percebem um ganho em qualidade ou experiência, o que pode justificar a redução de quantidade. Um artigo da Jornal de Negócios menciona que algumas marcas têm sucesso ao destacar os benefícios adicionais dos seus produtos, como ingredientes orgânicos ou processos de produção mais sustentáveis.

Reformulação e Inovação

As PMEs podem aproveitar esta oportunidade para reformular os seus produtos e introduzir inovações. Isto pode incluir a criação de novas linhas de produtos ou a introdução de versões premium. Esta estratégia não só ajuda a justificar os custos, mas também atrai novos segmentos de mercado. Por exemplo, uma pequena empresa de snacks pode lançar uma linha de produtos gourmet com ingredientes de alta qualidade, justificando o tamanho menor com o valor percebido.

Otimização dos Processos de Produção

Melhorar a eficiência operacional pode ajudar a reduzir custos sem comprometer a qualidade ou a quantidade dos produtos. Investir em tecnologias de produção mais avançadas, otimizar a cadeia de abastecimento e reduzir o desperdício são algumas das formas de alcançar esta eficiência. Estas melhorias podem compensar os custos crescentes e evitar a necessidade de reduzir o tamanho dos produtos.

Parcerias e Colaborações

Formar parcerias com outras empresas pode ser uma estratégia eficaz. As PMEs podem colaborar para comprar matérias-primas a granel, reduzindo assim os custos unitários. Parcerias com empresas de marketing ou logística também podem resultar em economias de escala. Estas colaborações podem proporcionar vantagens competitivas e permitir que as PMEs ofereçam produtos de maior valor sem reduzir o tamanho.

Fidelização dos Clientes

Programas de fidelização podem ajudar a manter os clientes leais mesmo quando os produtos são reduzidos. Oferecer descontos, recompensas ou acesso exclusivo a novos produtos são formas de valorizar os clientes fiéis. Estes programas não só incentivam a repetição de compras, mas também fortalecem a relação entre a marca e os consumidores.

Shrinkflation e a Percepção de Valor

A shrinkflation levanta questões profundas sobre a percepção de valor e a nossa relação com os produtos que consumimos. Esta prática desafia-nos a reconsiderar o que realmente valorizamos – a quantidade ou a qualidade?

A Ilusão da Abundância

Vivemos numa sociedade onde a abundância é frequentemente associada ao valor. Mais produto pelo mesmo preço parece sempre um bom negócio. No entanto, a shrinkflation força-nos a questionar esta mentalidade. Será que realmente precisamos de mais quantidade ou devemos focar-nos na qualidade do que consumimos? Esta reflexão leva-nos a ponderar sobre o impacto ambiental do consumo excessivo e a importância de práticas sustentáveis.

Valor Percebido vs. Valor Real

O valor percebido de um produto pode diferir significativamente do seu valor real. A shrinkflation joga com esta discrepância, onde os consumidores podem não notar imediatamente a redução de tamanho, mas mantêm a percepção de que estão a receber o mesmo valor. No entanto, uma análise mais profunda revela que estamos a pagar mais por menos. Isto pode ser visto como um convite para sermos consumidores mais conscientes e atentos aos detalhes.

A Ética da Shrinkflation

A ética por trás da shrinkflation também merece uma reflexão. É justo reduzir a quantidade de um produto sem informar claramente os consumidores? Enquanto algumas empresas optam pela transparência, outras aproveitam-se da falta de atenção dos consumidores. Esta prática pode ser vista como uma quebra de confiança, o que nos leva a considerar a importância da honestidade nas relações de consumo.

Filosofia do Consumo Consciente

A shrinkflation pode ser um catalisador para um movimento mais amplo em direção ao consumo consciente. Ao estarmos mais atentos às práticas de redução de tamanho, podemos tomar decisões de compra mais informadas e responsáveis. Isto inclui apoiar marcas que valorizam a transparência e a qualidade, mesmo que isso signifique pagar um pouco mais por produtos que realmente valem a pena.

O Valor da Satisfação

No final, a verdadeira medida de valor pode estar na satisfação que obtemos de um produto. Um pacote menor de batatas fritas feito com ingredientes de alta qualidade pode proporcionar mais prazer do que um pacote grande de qualidade inferior. Esta reflexão pode aplicar-se a muitos aspectos da nossa vida, incentivando-nos a buscar qualidade e significado em vez de mera quantidade.

Shrinkflation é um fenómeno complexo

A shrinkflation é um fenómeno complexo que vai além da simples redução do tamanho dos produtos, esta prática desafia-nos a repensar o valor e a qualidade no consumo, enquanto apresenta desafios e oportunidades tanto para consumidores como para pequenas e médias empresas.

Para os consumidores, a shrinkflation pode ser frustrante e, por vezes, enganosa. No entanto, também é uma oportunidade para se tornarem mais conscientes e críticos nas suas escolhas de compra, valorizando a transparência e a qualidade acima da quantidade.

Para as PMEs, a shrinkflation representa um teste de inovação e adaptação. Estas empresas devem equilibrar a necessidade de manter os custos controlados com a imperativa de manter a confiança e a lealdade dos seus clientes. Estratégias como transparência, adição de valor, otimização de processos e parcerias podem ajudar a transformar este desafio numa vantagem competitiva.

No final do dia, a shrinkflation relembra-nos a importância de sermos consumidores informados e de valorizarmos a qualidade e a honestidade nas nossas relações de consumo, em tempos de mudanças económicas, a nossa capacidade de adaptação e resiliência é crucial, tanto como consumidores como empresas.

Próximo passeio pelo supermercado, dedique alguns minutos a observar os produtos nas prateleiras. Perceba as mudanças subtis nos tamanhos e pergunte a si mesmo, este produto vale realmente o que custa? Como posso apoiar marcas que são transparentes e comprometidas com a qualidade? A sua escolha faz a diferença, não só para a sua carteira, mas também para o futuro do consumo consciente.

Newsletter

Fique por Dentro das Novidades, Subscreva a Nossa Newsletter! E o melhor de tudo? É gratuito! Basta inserir seu e-mail no campo abaixo e clicar em "Subscrever". É rápido, fácil e seguro.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

MAIS ARTIGOS

Como Criar um Plano de Negócios

Um plano de negócios bem estruturado é fundamental para o sucesso de qualquer empresa. Ele serve como um mapa abrangente, orientando os empreendedores e proprietários de empresas em todas as etapas do processo.

Segredos do Search Engine Marketing

Neste artigo vamos explorar os fundamentos do Search Engine Marketing (SEM), as suas vertentes, tendências emergentes e a importância dos motores de busca no processo de tomada de decisão do consumidor.

A Evolução e Importância do SEO

A presença online sólida é fundamental para o sucesso de qualquer negócio, com bilhões de pesquisas realizadas diariamente nos motores de busca como o Google, otimizar a visibilidade e os rankings dos nossos websites tornou-se uma prioridade estratégica e de sobrevivência.

Como Criar um Website Profissional para a Sua Empresa

O mundo ligado à Internet exige que as empresas tenham uma presença online forte. Um website profissional é a pedra angular para estabelecer a sua identidade de marca, comunicar com os clientes e vender produtos e / ou serviços online.

Cibersegurança: 10 Medidas Recomendadas para PMEs

Como podem as pequenas e médias empresas garantir que os funcionários estão devidamente formados nos fundamentos da cibersegurança?

Ransomware: A Ameaça Ciberlucrativa

O que é o Ransomware? É um tipo malware insidioso que encripta os dados das vítimas, tornando-os inacessíveis até que um resgate seja pago.

Gestão e Resolução de Conflitos nas Pequenas e Médias Empresas

Os conflitos são inevitáveis em qualquer ambiente de trabalho, especialmente nas pequenas e médias empresas (PMEs), onde as interações pessoais são mais próximas e intensas.

Conduzir Reuniões de Sucesso

Neste artigo vamos tentar resumir as melhores práticas para conduzir reuniões produtivas e envolventes, desde o planeamento até ao follow-up.

Conteúdo
Como a Shrinkflation Está a Mudar o Que Compramos
pme.pt Portal PME

Usamos cookies para que o site funcione corretamente, personalizar conteúdo e anúncios e para analisar o nosso tráfego.
Consulte a nossa política de privacidade.