Trabalhar Menos Para Produzir Mais

produzir mais

Por que é que a sua empresa deve permitir as sestas

O panorama empresarial em Portugal não anda famoso e nós vamos aconselhá-lo a dormir uma sesta? Precisamente. Se não há nada como uma boa noite de sono para começar um dia de trabalho bem-disposto e motivado, por que não um breve momento de descanso depois do almoço, quando chega a hora da preguiça, para retomar a tarde de igual forma?

Está provado que o bem-estar, produtividade, motivação e até o bom humor podem aumentar com a possibilidade de fazer uma sesta… e diminuir se não conseguirmos descansar um pouco quando nos sentimos sonolentos. E quando é que isso acontece? Após o almoço! E o que fazemos? Bebemos um café e seguimos em frente a bocejar porque somos adultos. Não fazemos sestas desde os 3 anos de idade. E mesmo que os estudos mais conceituados revelem que os profissionais que têm um período de descanso depois do almoço possuem maior propensão a apresentar produtividade superior do que os que não fazem sesta… o que é que continuamos a fazer? A beber café. Ora, este artigo é dedicado a todos os que admitem a sua necessidade de fechar os olhos um bocadinho que seja a seguir ao almoço. Estamos convosco!

produzir mais

Sesta legalizada na Coreia do Sul

As anedotas sobre os funcionários que são apanhados a dormir em horário de expediente podiam ter os dias contados se no nosso pais se adotasse, tal como na Coreia do Sul, uma sesta de uma hora depois de almoço. De facto, no ano passado foi implementada uma medida não obrigatória (em que cabe a cada funcionário decidir) que aprovava, após o almoço, um descanso de uma hora sendo que esse período de descanso até 60 minutos não significava um alívio no horário de trabalho. Na verdade, quem quisesse fazer uma sesta tinha de a compensar entrando mais cedo ou ficando até mais tarde na empresa mas ainda assim, na Coreia do Sul (pelo menos) os adeptos da sesta ficaram felizes e os empregadores convictos de que a sesta legalizada permite aumentar a produtividade das pessoas. Será de facto assim? Vários estudos de saúde mostram que fazer uma sesta à tarde ajuda as pessoas a melhorar o desempenho e estimular a criatividade, particularmente durante os meses de verão. Nesse sentido, a medida foi implementada no país que tem a terceira maior carga horária de entre os membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, OCDE: uma média de 2.092 horas por ano/pessoa. Mas onde a produtividade era de apenas 66% da média entre os membros da OCDE…

Em Espanha já é assim nalgumas empresas. Em Madrid ninguém se espanta se encontrar uma loja fechada no início da tarde e em Barcelona, por exemplo, das 14h às 17h, a maioria dos estabelecimentos comerciais fecha mesmo as portas para que os funcionários almocem e descansem. Depois, o horário de trabalho, geralmente, estende-se até às 21h. Mas para nós, portugas, isto é um pouco estranho. Será mais uma daquelas coisas que à primeira estranha-se e depois entranha-se? Seria o nosso país economicamente competitivo se agisse dessa forma? Devemos considerar certo o horário de trabalho corrido e errado o horário de trabalho que equilibra vigília com descanso? Afinal, quem não gostava de ter um ritmo mais tranquilo, com tempo para almoçar uma refeição quente em vez de uma sandes no escritório, com uma pausa suficientemente grande para ir até casa e dormir uns minutinhos? O estilo pode ser mais salutar mas nem por isso exequível por cá onde trabalhamos por vezes 10 horas seguidas, sem queixumes nem sonecas. E assim será enquanto tivermos como hábito elaborar um relatório de trabalho ao fim de semana mas nunca ir até à praia dar um mergulho aos dias de semana.

Dormir 30 minutos após o almoço melhora a capacidade cognitiva

O que nos parece estranho, a sesta para pessoas adultas, é uma prática saudável e que deveria ser seguida por todos. Dormir após o almoço não é um hábito de pessoas preguiçosas ou com falta do que fazer na vida. É sim uma recomendação médica capaz de melhorar o desempenho nas atividades durante o dia e noite e, consequentemente manter as pessoas mais saudáveis. Muitas vezes 10 minutinhos fazem a diferença.
Alguns médicos indicam que o ser humano foi dando cada vez menos importância a esta que é uma necessidade fisiológica: dormir um pouco depois de almoço. No pico de sonolência a meio do dia, nada como uma soneca de meia hora para reparar energias! Para mais, a sonolência, principalmente perto das 15 horas, também é fisiológica, independentemente da alimentação e independentemente de termos almoçado ou não. Faz parte do nosso ritmo biológico.

Os especialistas garantem que dormir 30 minutos após o almoço é o ideal para o corpo humano melhorar a capacidade cognitiva e a memória. Mas dormir uma hora já não é recomendável porque faz o ciclo completo do sono e sonos mais prolongados podem causar a chamada inércia do sono e produzir o efeito contrário: piora a performance cognitiva e acentua o mau humor após o despertar.

Seja como for a ideia de legalizar a sesta é vista com resistência por parte das entidades patronais. E não é para menos porque quem gostava de chegar da hora de almoço e ver os seus funcionários deitados em cima das secretárias a ressonar? Mas em contrapartida, quem é que não inveja aqueles afortunados pela sorte que podem ir até casa na hora de almoço para comer e fazer uma sesta antes de recomeçar o expediente? Vamos dormir sobre o assunto…

Sobre Sofia Santos
Sofia Santos
Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação, exerce atualmente a atividade de Técnica de Marketing na PC.Clinic. Adora as estratégias online para difusão de marcas, produtos e serviços de empresas mas gosta mais ainda de as usar para ir ao encontro dos desejos e necessidades dos consumidores mais exigentes. Pelo meio não consegue largar a produção de conteúdos de qualquer género e em qualquer tipo de suporte. Para ela escrever é dançar com as letras. É brilhar, rodopiar, suar, cansar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar.
Deixe um Comentário