O Lado Feminino Da Liderança

liderança feminina

Liderança No Feminino

O número de mulheres em cargos de direção nas organizações em Portugal tem vindo a aumentar.

Apenas 28,2% dos cargos de liderança nas empresas estão nas mãos de mulheres. Ponto. O número tem crescido desde 2011 mas ainda assim revela que a presença feminina nas organizações em Portugal ainda tem um longo caminho a percorrer.

Os resultados são do Estudo Barómetro Informa de março de 2015 e revelam também que as mulheres representam 42,3% dos empregados, exercem 33,8% das funções de gestão e desempenham 24,9% das funções de direção executiva. Apenas 28,2% ocupam cargos de liderança.

O mesmo estudo sobre a presença feminina nas organizações em Portugal, cujo objetivo era perceber a evolução da participação das mulheres em cargos de liderança e sensibilizar para a diversidade de géneros, revelou que o número de mulheres nas empresas (empregados, cargos de direção, gestão e liderança) tem vindo a aumentar nos últimos anos, em especial em funções de liderança. A par, ficamos ainda a saber que a percentagem de mulheres na força de trabalho é maior nas empresas que mais faturam (46%) mas é nessas empresas que estão menos representadas em cargos de gestão e liderança. A participação das mulheres na liderança diminui à medida que aumenta a dimensão da empresas e não há presenças femininas na liderança de empresas cotadas, mas 9,9% dos cargos dos seus conselhos de administração são ocupados por mulheres (outra subida desde 2011). Porém, as mulheres continuam em minoria nos cargos decisórios – o número de empresas com direção exclusivamente masculina continua a dominar – mas a sua presença em funções de liderança tem vindo a aumentar e houve também um aumento do número de organizações com gestão exclusivamente feminina. É nas Sociedades Anónimas que a presença de mulheres nos conselhos de administração é mais representativa

Já o Instituto Nacional de Estatística, numa publicação de 2013 intitulada “Trabalhar no Feminino”, havia demonstrado que as mulheres portuguesas representam apenas um terço dos profissionais em cargos de chefia e as que chegam ao topo são por regra mais jovens, mais qualificadas, casam-se menos e divorciam-se mais. A baixa representação feminina tinha colocado Portugal 7,7 pontos percentuais abaixo da média da União Europeia e muito longe da meta de 40% definida pela Comissão Europeia para 2020. O mesmo estudo determinou que a população feminina estava em minoria em quase todos os setores, apesar de predominar em algumas atividades de serviços, como saúde humana (74,2%), educação (64,2%) e alojamento e restauração (55,5%).

Mas o que diferencia as mulheres em cargos de liderança?
É difícil definir com clareza o que distingue as mulheres dos homens em cargos de liderança mas o certo é que há ideias enraizadas na sociedade de que a chefia feminina é mais branda que a masculina. Acredita-se que as mulheres são mais sensíveis, expressivas e os homens mais contidos e, de facto, revelam alguns estudos que as mulheres se preocupam mais em harmonizar o grupo. São mais preocupadas com o bem-estar da sua equipa e mais acolhedoras quer com os colegas quer com os clientes. Além disso, têm maior capacidade para adaptar a sua comunicação a diferentes ambientes e interlocutores.
A contribuição da liderança feminina para o desenvolvimento das organizações já está a ser medida e comprovada. Estudos recentes revelam que a diversidade de género na administração de uma empresa impulsiona a performance e aumenta as receitas.

Alguns motivos pelos quais as mulheres são líderes eficazes

liderança feminina

1. As mulheres são ouvintes atentas

As mulheres sabem melhor do que os homens quando é a hora de ouvir e tendem a ser mais compreensivas do que eles. Por esse motivo são capazes de compreender melhor as necessidades dos outros (seja dos colegas seja dos clientes) e isso permite que se sintonizem com as suas necessidades alheias.

2. As mulheres são mais sociáveis

Vários estudos têm revelado que as mulheres são mais sociais do que os homens. Isso aumenta as taxas de colaboração e criatividade dentro de um negócio. O facto de serem mais sociáveis leva a que também se sintam mais confortáveis em ligar para conhecidos e desconhecidos, o que pode ser um grande impulso para novos negócios.
 
3. As mulheres estão mais atualizadas

As mulheres tem maior propensão para se manterem atualizadas com as notícias do que os homens e conseguem aplicar esses conhecimentos em casos de clientes e outras questões relacionadas com o trabalho.

4. As mulheres conseguem realizar mais tarefas em simultâneo

Os homens têm melhor capacidade para rotação mental, mas as mulheres superam-nos na chamada memória espacial e execução de várias tarefas em simultâneo. Isso também faz com que as mulheres sejam mais eficazes na elaboração de estratégias e soluções.
 
5. As mulheres são mais eficazes em grupos de trabalho

A capacidade natural feminina de comunicar e integrar permite melhores desenvolvimentos de trabalhos em grupos. Estudos recentes também revelam que os grupos com mulheres incluídas são mais produtivos do que aqueles exclusivamente masculinos.

Porém, apesar das vantagens em integrar uma mulher num cargo de liderança, muitas empresas preferem elementos masculinos. Serão necessários muitos mais ajustes culturais para que a liderança feminina realmente encontre seu espaço. Mas nós aguardamos.

Sobre Sofia Santos
Sofia Santos
Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação, exerce atualmente a atividade de Técnica de Marketing na PC.Clinic. Adora as estratégias online para difusão de marcas, produtos e serviços de empresas mas gosta mais ainda de as usar para ir ao encontro dos desejos e necessidades dos consumidores mais exigentes. Pelo meio não consegue largar a produção de conteúdos de qualquer género e em qualquer tipo de suporte. Para ela escrever é dançar com as letras. É brilhar, rodopiar, suar, cansar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar.
Deixe um Comentário