Globalização – O Globo Na Palma Da Mão

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Ninguém pode negar que hoje em dia o mundo é a nossa casa. Até os mais conservadores, se pararem para olhar em seu redor, vão descobrir que o seu portátil veio do Japão, que a manta que usa veio da China, que o seu televisor veio da Alemanha, que o seu chá preto veio de Inglaterra e assim sucessivamente. Quando parar de olhar em volta vai sentar-se atordoado e pensar: “É mesmo verdade.”

O choque da constatação de que vivemos num mundo global é maior nos mais idosos, que tão bem se lembram que para comprarem determinados bens de consumo do seu próprio país, tinham que por vezes andar quilómetros para os obter, à custa de muito suor e muitas horas passadas a andar a pé. Os produtos tinham origens designadas e os meios para a mobilidade eram escassos pelo que, quando a necessidade falava, lá se punham a caminho para comprar bens de primeira necessidade. Hoje em dia já não é assim. Conseguimos saborear a Tailândia, a Índia e o Japão num virar de quarteirão. E porquê? Porque o fenómeno de Globalização deixou-nos o globo na palma da mão.

globalização

A Globalização é o processo de transformação de fenómenos locais em fenómenos globais, levando a que todas as pessoas do mundo se unifiquem numa única sociedade e funcionem em conjunto.

Mas como chegámos a este ponto? Ainda que a resposta possa aparentar ser simples, os seus processos não o são, pois para que a mudança se desse foi necessário um conjunto de efeitos económicos, tecnológicos, socioculturais e políticos, que permitiu a integração das economias nacionais na economia internacional através do comércio, do investimento directo estrangeiro, fluxos de capital, a migração, bem como a disseminação da tecnologia.

Em resumo, a implementação da globalização foi feita através de forças motrizes que exerceram pressões elevadas, levando a que consequentes mudanças inevitáveis na estrutura que até à data existia se dessem.

A primeira força motriz indutora de mudança relacionou-se com as interferências e ameaças nas economias nacionais. Ou seja, ao existir uma suposta globalização do mercado mundial, os mercados não encontraram outra alternativa senão abrir fronteiras às transações ou abririam falência, levando a que consequentemente os países se tenham consciencializado de que tinham que ser flexíveis, tendo-se deixado interpenetrar pelo estrangeiro de uma forma gradual.

A segunda encontrou-se intimamente ligada com as alterações e “falências” dos “estados previdência” atingindo as políticas nacionais da segurança social, isto é, com a globalização os estados foram “obrigados” a apostar no mercado mundial ficando sem fundos para financiar os “estados previdência” que garantiam às pessoas.

A terceira constituiu-se como o abalo da imagem dos estados nacionais fechados, auto-suficientes, o que quer dizer que a imagem dos estados autárcicos foi por completo apagada pois agora os estados apresentavam-se muito sensíveis ao mercado mundial.

A última, foi o pacote de políticas de desnacionalizações de sectores empresariais do estado, muitos deles considerados estratégicos.

E assim, através destas quatro forças motrizes a globalização penetrou no mundo afetando-o em variadas áreas, nomeadamente:

  • Indústria – verificou-se uma emergência da produção mundial dos mercados e do acesso a uma gama mais vasta de produtos estrangeiros para consumidores e empresas, tendo-se verificado ainda a circulação facilitada de materiais e mercadorias dentro e fora das fronteiras nacionais.
  • Finanças – ocorreu o aparecimento de mercados financeiros a nível mundial.
  • Economia – passou a existir um mercado global comum, com base na liberdade de troca de mercadorias e de capitais.
  • Política – foi criado um governo mundial com o objetivo de regular as relações entre os governos e as garantias dos direitos sociais e económicos decorrentes da globalização.
  • Informação – verificou-se um aumento dos fluxos de informação entre locais geograficamente distantes, que se traduziu no advento das comunicações de fibra óptica, satélites e aumento da disponibilidade de telefone e Internet.
  • Concorrência – a sobrevivência das empresas no novo mercado global apelou à melhoria da produtividade e ao aumento da concorrência. Devido ao mercado mundial, empresas em diferentes indústrias tiveram que actualizar os seus produtos e habilidades no uso da tecnologia para enfrentar o aumento da concorrência.
  • Ecologia – verificou-se um aumento do número e intensidade dos desafios ambientais globais que com a globalização podem vir a ser resolvidos com a cooperação internacional.
  • Cultura – verificou-se um crescimento significativo dos contactos multi-culturais e da absorção de diferentes estilos de vida.
  • Sociedade – desenvolveu-se o sistema de organizações não-governamentais como principais agentes da política pública global, tendo sido feitos esforços no sentido dos temas da ajuda humanitária e de desenvolvimento.

Para além destes, em muitos outros campos a globalização possuiu um papel preponderante de mudança evolutiva. Importa notar também, que dada a sua introdução ter ocorrido de forma gradual (apesar de rápido) dificilmente se verificará a existência de um processo inverso.

A irreversibilidade deste fenómeno acrescenta ainda uma atribuição de poder ao ser humano. O Homem global já não está preso às dimensões. A globalização permitiu-lhe através de todas as ferramentas associadas às novas tecnologias, uma nova postura face ao tempo e ao espaço, garantindo-lhe até a possibilidade de ultrapassar as suas dimensões. Para além disso, dada a capacidade de apreender todo o tipo de informação através da internet, dotou-o também de um manancial de informação enorme, levando-o a sentir-se cada vez mais poderoso num mundo que não é só seu, mas cuja pretensão interna que o motiva, o faz sentir como parte da sua mão.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Artigos Relacionados

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Procura

ARTIGOS POPULARES

10 Etapas para criar um e-commerce e vender na maior loja do mundo!

Ter um computador com acesso à internet é fundamental, mas não basta para começar a vender na maior loja do mundo. Conheça as 10 etapas para criar um e-commerce, aqui!

Como abrir uma loja virtual em Portugal

Da legislação ao software de faturação, passando por uma série de especificações técnicas! Tudo o que precisa de saber para abrir uma loja virtual em Portugal!

12 Passos Para Abrir Uma Loja Online

Hoje em dia, esteja onde estiver e seja a que horas for, desde que tenha acesso à Internet, pode entrar numa loja online, colocar um produto no carrinho de compras, pagar e aguardar a entrega na comodidade do lar. Assim, motivos não lhe faltam para desejar abrir uma loja virtual.

Como Vender No Ebay Passo A Passo

Saiba como vender no ebay passo a passo Vender no eBay, na empresa de comércio eletrónico mais conhecida no mundo, é semelhante a vender

25 Ideias Para Criar Uma Pequena Empresa

Investimento reduzido + espírito empreendedor = negócio rentável Se tem interesse em abrir um negócio lucrativo mas pouco dinheiro para investir, não esmoreça.

Como Abrir Uma Loja Na Internet

Saiba como abrir uma loja na Internet. Vantagens e benefícios de uma loja na Internet. Além de ser uma solução fácil de implementar e gerir, uma loja online apresenta inúmeras vantagens

Como dominar um teste psicotécnico antes que ele o domine a si

Os testes psicotécnicos são uma ferramenta de seleção utilizada em todo o mundo em processos de recrutamento de candidatos para um trabalho, geralmente antes de ser realizada uma entrevista.

A Importância Da Comunicação

Tanto em família como em negócio, não dar importância à comunicação significa perder oportunidades de construção de um bom relacionamento.

Como Abrir Uma Empresa Online?

Para que seja mais fácil abrir uma empresa online e gerar um desenvolvimento económico, o Portal da Empresa desenvolveu ferramentas que permitem criar, de forma simples e segura, empresas online.

Como Criar Uma Empresa Da Forma Tradicional Passo A Passo

O método Tradicional de criação de uma empresa é o mais demoroso, pressupõe várias deslocações e uma atenção acrescida. Contudo, tem a vantagem do contacto pessoal e da facilidade de esclarecimento de dúvidas.

Conteúdo

Globalização – O Globo Na Palma Da Mão

Usamos cookies para que o site funcione corretamente, personalizar conteúdo e anúncios e para analisar o nosso tráfego.
Consulte a nossa política de privacidade.