Os Nove Skills Do Empreendedor

Falamos muito em ter ideias inovadoras; em termos o produto ideal; em termos aquele momento em que se acende a lâmpada na nossa cabeça e revolucionamos o mercado.

Temos aquela imagem da figura solitária a meia-luz a trabalhar pela noite dentro na solidão da garagem dos seus pais.

Todas estas ideias românticas embora tenham inspirado gerações de empreendedores não revelam tudo o que é necessário para singrar num projecto.

Muito se falou e investigou sobre essas pessoas, mas para além dos seus génios temos de reconhecer as suas outras capacidades que vão muito para além do seu saber fazer ou construir um produto novo e inovador, tiveram também de construir uma organização que lhes permitiu entregar esses novos produtos no mercado e batalhar a concorrência.

lista skills

No meu entender, e esta lista é puramente pessoal e sujeita a refutações, mas com estas reservas devidamente evidenciadas cabe-me dizer que penso que para se conseguir ter um negócio de sucesso temos de reunir na pessoa do fundador ou na sua equipa fundadora as seguintes valências:

Os Nove Skills Do Empreendedor

1) Capacidade de Inovar num mercado suficientemente grande para haver crescimento e por meio de vendas de produtos serviços ou licenciamento. Não basta inovar para sermos um empreendedor de sucesso a nossa inovação tem de encontrar um mercado suficientemente rico e largo que permita sustentar a nossa empresa e assegurar o seu crescimento.

2) Capacidade de perceber rapidamente o potencial duma ideia e de mudar rapidamente de direcção “to pivot” se essa não for viável. Eric Ryes descreve o processo como aprendizagem validada, de facto ele argumenta que o empreendorismo pode ser ensinado, pode ser aprendido e acima de tudo deve ser medido mediante uma contabilidade da inovação olhando para a capacidade de se estabelecer um MVP (minimum viable product), lançá-lo e efectuar ciclos de Contruir-Medir-Aprender descritos nos seus princípios de Lean Startups;

3) Capacidade de se manter motivado face a dificuldades, falhanços e negatividade. Possuir ou aprender a chamada resiliência, citando Churchill no seu momento mais difícil durante a segunda guerra mundial em que afirmou que o sucesso é “passar de falhanço em falhanço sem perder o entusiasmo” pois nesse entusiasmo mantém-se o catalisador do engenho de se descobrir o caminho certo. Podemos testar o nosso nível de resiliência;

4) Capacidade de Trabalhar Arduamente, citando Elon Musk o verdadeiro Tony Stark de Iron Man ele diz que temos de “trabalhar arduamente, super-arduamente” e a “cada hora que estás acordado” para se criar um produto e uma empresa que seja extraordinária;

5) Capacidade de criar relações de confiança e motivar os que nos rodeiam gerando um ambiente de confiança onde o grupo sente que pode arriscar partilhar atirar para o ar a ideia mais disparatada que não vai ser “castigado” pela sua visão, temos de criar espaços seguros para falhar e para plantar as sementes do sucesso (http://99u.com/videos/28311/ben-shaffer-innovation-means-building-a-safe-space-for-failure);

6) Capacidade de ter um entendimento claro do seu mercado, servindo como conselheiro ajudando clientes e investidores a perceberem as forças que moldam o mercado e como se devem posicionar; mais do que um bom vendedor temos de possuir um entendimento da realidade dos nossos clientes e investidores e falar directamente para o resultado e impacto real nos seus negócios e nos seus processos.

7) Capacidade de criar e crescer o pipeline de negócio da empresa, entender que os frutos do futuro são semeados no presente e só com trabalho incessante pode uma empresa nascente garantir a sua sobrevivência, todos devem plantar as sementes e venderem os produtos da empresa;

8) Capacidade de Delegar; responsabilidade, paixão e empenho, a cada pessoa da empresa, a cada cliente, a cada stakeholder, criando uma comunidade a volta do nosso produto; este artigo da Forbes resume muito bem como delegar em negócios mas eu iria um pouco mais além; i.e. temos de evangelizar a nossa marca de tal modo que estamos a delegar a cada um na nossa empresa, a cada um dos nossos clientes tal entusiasmo que transmitem a nossa marca para os seus mais próximos.

9) Capacidade de Tomar Decisões; a capacidade de decidir é como um músculo pode ser treinado, praticado e desenvolvido e a capacidade de tomar decisões pode ser aprendida e desenvolvida, essa capacidade é também um exercício e como tal é um factor crítico por isso sejamos críticos nas decisões que tomamos pois cada decisão consome energia (http://www.scientificamerican.com/article/tough-choices-how-making/) e devemos saber onde e quando decidir.

Concluindo:

No meu entender grandes líderes não nascem, criam-se. Muitas vezes forjados pelas circunstâncias das suas vidas e dos momentos históricos onde estão inseridos mas para aqueles que se preparam para criar os seus projectos e embarcarem nessa viagem de empreendimentos espero que esta breve lista, totalmente pessoal e não exaustiva vos sirva de algum guia e vos ajude a reunirem as skills e pessoas que tornem o vosso projecto vencedor.

André Vieira

Print Friendly, PDF & Email

About The Author

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *