Erros que (não) pode cometer numa entrevista de emprego

Por que é que ainda não foi contratado?!

O Zé Manel já andava receoso desde que o pessoal dos recursos humanos lhe tinha telefonado a marcar a entrevista. Não sabia como agir nem tão pouco com quem ia falar. Desconhecia a área de negócio da empresa em causa e como não estudou o percurso até lá, atrasou-se meia hora e entrou a sua debaixo de um sol abrasador. Limpou a testa com a mão antes de cumprimentar os presentes e começou por se desculpar explicando que estava a passar por graves problemas financeiros e tivera de vir de autocarro porque não tinha dinheiro para a gasolina do carro, aproveitando também para dissertar sobre as vantagens de aproveitar os pontos de desconto em combustíveis oferecidos em compras em hipermercados numa época em que todos temos de apertar os cordões à bolsa… E nisto o Zé Manel começa a explicar como era bom a deitar um olho a promoções e outras oportunidades tais e como a besta do patrão anterior não fora capaz de compreender que tinha ali um génio. A fazer cargas e descargas, sim, mas “um génio!” Exclama aumentando o tom de voz ante o olhar estupefacto dos entrevistadores que aproveitam para lhe pedir a carta de apresentação…

– Carta de quê?! Pergunta enquanto retira de cima da mesa o seu telemóvel que acaba de assinalar a chegada de uma mensagem: “Lamentamos mas não apresenta o perfil para o cargo. Guardaremos o seu currículo para uma próxima oportunidade”.

Não faça como o Zé Manel. Não há porque temer uma entrevista de emprego. Pelo contrário, deve vê-la como a tão ansiada oportunidade para arranjar um emprego, mudar de profissão, abraçar outro projeto. Mas para que os seus desejos se realizem deve mostrar à pessoa que o está a entrevistar as suas qualidades e os motivos pelos quais o deve contratar.

Prepare-se adequadamente fazendo um planeamento da entrevista. Verifique qual é o objetivo da mesma e ensaie a resposta àquilo que o entrevistador vai querer saber: quem é, qual a sua experiência profissional, que resultados conseguiu obter nos últimos empregos e o que pode fazer – caso seja contratado – pela nova empresa. Não é complicado. E se estiver focado na conversa com o entrevistado não há motivos para não correr bem… a não ser que cometa um, basta apenas UM, dos erros que nunca deve cometer numa entrevista de emprego listados em baixo.

erros entrevista emprego

Erros comuns numa entrevista de emprego

“Desculpem lá o atraso!”

CHEGAR ATRASADO

Se chegar atrasado à entrevista está a mostrar a sua incapacidade em cumprir horários e isso revela que é uma pessoa com falta de interesse, falta de organização e que não dá a devida importância ao trabalho. O simples facto de não ter conseguido programar corretamente o tempo que demoraria a chegar ao local da entrevista dá a entender que é uma pessoa incapaz de planear um trajeto quanto mais um projeto de uma empresa.

“Estou a passar por um momento difícil”

FALAR DE PROBLEMAS PESSOAIS

Se o entrevistador lhe colocar algumas perguntas sobre a sua vida pessoa, deve responder, claro, mas de forma breve e objetiva. Se fizer da sua vida pessoal o tema da entrevista dá a entender que precisa do mais espaço para falar sobre questões pessoais em vez de tratar das questões profissionais.

Não veja a entrevista como uma conversa entre amigos. Não aproveite para desabafar sobre os seus problemas familiares ou financeiros. Em vez disso, deve separar desde logo problemas pessoais de profissionais.

“Sou desorganizado”

EXPOR OS SEUS DEFEITOS

Se vai começar por expor os seus defeitos, então o melhor é despedir-se e abandonar a sala. Ninguém quer contratar uma pessoa desorganizada, com falta de pontualidade, incapacidade para trabalhar em equipa, etc. Se tiver mesmo de referir dois ou três defeitos, certifique-se de que consegue, de seguida, apontar uma solução para os corrigir ou, em alternativa, enumere defeitos que não prejudiquem tanto a sua imagem e que possam ser interpretados como defeitos ou qualidades (ansiedade, perfecionismo, teimosia…)

“A empresa onde trabalhava é muito má”

FALAR MAL DO ÚLTIMO EMPREGADOR

Nunca critique as empresas por onde passou nem as chefias que já teve. Ao apontar o dedo a antigos empregos, deixa claro que não conseguiu lidar com a situação de despedimento, por exemplo. Pode ser difícil não criticar a entidade empregadora quando lhe perguntam porque saiu da empresa mas a verdade é que o entrevistador não o quer ouvir falar mal do antigo patrão. O que ele pretende é verificar se a saída de uma empresa pode ser uma oportunidade para outra. Dê sempre uma solução diplomática, politicamente correta, para pretender mudar de trabalho ou para o seu despedimento. Fale apenas do seu trabalho, das suas funções mesmo que tenha saído insatisfeito. Se não o conseguir fazer, revela imaturidade.

“Qual é o nome da vossa empresa?”

NÃO SABER NADA SOBRE A EMPRESA CONTRATANTE

Antes de uma entrevista, faça uma pesquisa sobre a empresa com quem vai falar. Se aparecer sem saber o nome da organização, que produtos ou serviços comercializa, em que mercado atua, onde está localizada, etc, revela falta de iniciativa e interesse. E se não está interessado num emprego por que é que o haviam de contratar?

“É assim. Fazem três anos que estou desempregado”

DAR ERROS DE PORTUGUÊS

Se não tem repertório qb, limite-se a falar de forma simples, mas correta. Nalguns cargos erros de português são imperdoáveis noutros nem por isso mas, ainda assim, qualquer entrevistador condena o uso de gírias, calão, palavras no diminutivo e erros gramaticais e verbais. Saiba falar, se não se sente à-vontade com um vocabulário complexo, tente ser o mais simples possível e expressar-se com clareza.

“TI’s? Sim, percebo. Já trabalhei como telefonista numa empresa de…”

FALAR SOBRE UM ASSUNTO QUE DESCONHECE

Se não compreender uma pergunta, peça para lha repetirem. Não tente responder a uma pergunta falando sobre o que não sabe. É preferível dizer “não entendo” do que passar por ignorante. Mesmo que sinta que pode “acertar” na resposta, não fale sobre algo que desconhece na tentativa de ludibriar o entrevistador. É melhor dizer que não tem a certeza, que não tem a experiência nessa área que não se lembra de ter ouvido falar. Se tem um conhecimento teórico sobre o assunto, explique o que sabe a respeito, mas esclareça que não tem experiência prática.

“Quem é que não gosta de dormir até tarde, não é?”

FAZER COMENTÁRIOS DESNECESSÁRIOS

Mesmo que seja apenas para tentar angariar a simpatia do entrevistador, não faça comentários desnecessários. Não comente a decoração da sala, não diga que lhe custa acordar cedo, que não têm paciência para ler, não repita uma piado do seu filho nem recorde um hábito entre colegas do antigo emprego. Mante-se focado apenas na entrevista.

“Eu era o melhor na minha empresa”

SOBREVALORIZAR-SE

Deve valorizar-se mas não sobrevalorizar-se. Se se autoelogiar em demasia, exagerando para cima as suas aptidões e competências acaba por chamar a atenção do entrevistador, sim, mas não da forma mais desejável. Revele alguma humildade, diga apenas o necessário para manter o interesse na sua contratação e não mostre que acha que está em vantagem em relação aos outros candidatos. Não se esqueça que os melhores trunfos devem ser guardados para depois da contratação.

“Nunca fiz nada mal feito”

NÃO RECONHECER OS PRÓPRIOS ERROS

Se cometeu algum deslize e está a ser questionado sobre isso, confesse. Assuma e peça desculpa, se necessário. Se por outro lado, antevê que não vai conseguir dar conta de alguma tarefa, explique que se sente motivado mas que vai precisar de ajuda nos primeiros tempos. O entrevistador irá respeitar a sua humildade e ganhará pontos com isso.

“Eu sou licenciado em Engenharia de Sistemas”

MENTIR

Mesmo que esteja desesperado para encontrar um emprego, não deve mentir. Nunca. Por vezes, na tentativa de preencher a vaga de emprego, alguns candidatos mentem sobre as suas competências ou a sua formação académica. Não lhes vale de nada. Mais tarde ou mais cedo a mentira vem ao de cimo e a atitude vai ser condenada pela entidade patronal.

USAR UM TOM DE VOZ INADEQUADO

Não é só o que diz que interessa ao entrevistador, também conta o tom de voz com que fala. Numa primeira análise pode parecer difícil errar no tom de voz, mas não é. Por exemplo, um tom de voz alto pode evidenciar falta de educação, arrogância ou imposição e um tom muito baixo pode revelar timidez ou dificuldade de se expor diante das situações. Por isso, tente expressar-se de forma tranquila e mesmo que seja abordado sobre um assunto de que não gosta, mantenha o seu tom de voz.

Veja o que nào fazer durante uma entrevista de emprego
Blá, blá, blá, blá, blá, blá…

NÃO SABER QUANDO PARAR DE FALAR

Não parar de falar ou interromper o entrevistador para conseguir continuar a falar é um erro a evitar. Pode acontecer porque é por natureza uma pessoa faladora ou porque está particularmente nervoso por causa da entrevista, seja por que motivo for isso acaba por atrapalhar o entrevistado, que terá de dar por terminada a entrevista cansado e sem ter obtido grande parte das respostas que pretendia. Má sorte a sua. Se estiver embrenhado no seu monólogo, repara no entrevistador: se ele estiver a mudar de posição na cadeira, a olhar pela janela, a bocejar… talvez seja melhor que se cale.

“Carta de Apresentação?! Era preciso?”

NEGLIGENCIAR A CARTA DE APRESENTAÇÃO

O entrevistador vai gostar de ler uma carta de apresentação. O seu currículo nem sempre chega. Por isso, se ainda não enviou uma carta de apresentação, leva-a consigo para a entrevista. Pode ser mais uma excelente oportunidade de revelar o seu interesse em ocupar o cargo em causa. Nessa carta deve demonstrar não apenas o seu conhecimento sobre o mercado, mas também sobre a empresa e a posição desejada. Demostre que as suas experiências profissionais do passado podem ser uma mais valia se o contratarem para a posição em causa.

NÃO MOSTRAR ENTUSIASMO

Se não revelar entusiasmo e energia na entrevista não vai deixar uma boa impressão. Se quer a vaga, demonstre isso na forma como conversa com o entrevistador. Faça-o através da forma como fala da investigação prévia que fez sobre o cargo e a empresa anunciada, por exemplo. Nunca fale em tom baixo, monocórdico e em monossílabos, não deixe por desenvolver nenhuma resposta nem revele cansaço. Atente na expressão corporal e facial, pois também ela é responsável por parte das informações que emite durante a comunicação. Se participar na entrevista com entusiasmo tem meio caminho andado rumo ao emprego que deseja. Se der a entender que apensa pretende receber um ordenado ao final do mês, pode ficar pela entrevista.

NÃO APRESENTAR UMA POSTURA CORRETA

Não é só importante ter atenção à forma como fala, precisa de apresentar uma postura corporal correta durante a entrevista. O seu corpo também fala por si. Evite desviar os olhos do entrevistador, apontar para as pessoas, mexer-se constantemente na cadeira ou sentar-se de modo impróprio. E tirar um macaco do nariz ou cera de um ouvido está mesmo fora de questão.

TRIM! TRIM! TRIMMMMM!

DEIXAR TELEMÓVEIS À VISTA E LIGADOS

A entrevista é um momento importante para si, certo? Então nada justifica que deixe o seu telemóvel ligado e em cima da mesa. Se o fizer dá a impressão de que aguarda uma chamada e de que essa chamada é mais importante que a vaga em causa. Foque-se na entrevista. Não atenda chamadas, não envie mensagens, não faça nada, nadinha, que demonstre ao entrevistador a sua falta de concentração.

E agora, força! Após a leitura destas sugestões pode não conseguir o emprego que deseja mas consegue, seguramente, evitar comportamentos menos corretos que o colocariam em desvantagem.

Print Friendly, PDF & Email

About The Author

Sofia Santos

Licenciada, pós-graduada e mestre em Comunicação, exerce atualmente a atividade de Técnica de Marketing na PC.Clinic. Adora as estratégias online para difusão de marcas, produtos e serviços de empresas mas gosta mais ainda de as usar para ir ao encontro dos desejos e necessidades dos consumidores mais exigentes. Pelo meio não consegue largar a produção de conteúdos de qualquer género e em qualquer tipo de suporte. Para ela escrever é dançar com as letras. É brilhar, rodopiar, suar, cansar, aprender, rir e sonhar. Ir e voltar sem sair do lugar.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *