Como Encontrar O Seu Talento

Dicas para que saiba como encontrar o seu talento

Em qualquer situação profissional é importante sentir-se feliz e motivado. Muitas e variadas soluções são dadas a pessoas que não se sentem dessa forma e que passam na maior parte das vezes por mudar de trabalho, mudar de chefe, mudar de equipa, em suma, mudar. Mas e se essa solução, não fosse senão a última a tentar? E se lhe disséssemos que ao reconhecer o seu talento e ao incorporá-lo na sua vida profissional, tudo mudaria para si? Quer saber mais? Então vamos a isso.

Em primeiro lugar é preciso definir conceitos em contexto e o primeiro a definir é o talento. O talento pode ser visto como a soma de facilidade, conhecimento, paixão e capacidade em qualquer tipo de atividade. Por exemplo, alguém que é talentoso ao nível das artes tem uma capacidade rápida de elaborar uma tela sobre um conceito na hora, com mestria e perfeccionismo, não se detendo numa obra rápida, mas aperfeiçoando-a por horas a fio se necessário (sem se sentir exausto) até que ela se enquadre dentro dos seus padrões.

Depois desta breve contextualização começa a ser fácil compreender a ligação da necessidade de transportar os nossos talentos naturais para a vida profissional. Se o fizermos vai ser tudo muito mais fácil e conseguiremos alcançar o tal estado de motivação e felicidade que muitas vezes, quando não existe nos leva a culpabilizar as causas externas como o chefe, o trabalho, os colegas, etc. De forma resumida, a transposição do talento para a vida profissional permite-lhe alcançar aquilo que os psicólogos positivos designam pelo estado de “flow” – um estado mental onde o corpo e a mente estão em perfeita harmonia, que é caracterizado pela sensação de elevada motivação, desempenho, concentração e energia. As experiências de “flow” são muitas vezes recordadas como os momentos mais felizes da vida da pessoa, e/ou os momentos onde se sentiu no seu melhor, devido sobretudo ao facto de que quando estamos em “flow”, é porque estamos a praticar um talento nosso, uma coisa que amamos fazer e nos é natural (exemplos: dançar, cantar, praticar desporto, desenhar, pintar, escrever, meditar, trabalhar em algo que se gosta).

encontrar talento

Já pensou em sentir-se a “fluir” no seu local de trabalho? Já pensou na diferença de produtividade que obteria se durante o momento de trabalho ficasse tão profundamente envolvido e absorvido na atividade que nem se aperceberia do tempo passar? Seria espetacular no mínimo.
Então, se já se sente mais motivado para transportar o seu talento para o seu lado profissional é preciso agora descobrir o seu talento (caso não saiba). Para o descobrir basta apenas responder honestamente às perguntas enquadradas nos quadrantes que se seguem:

1º Quadrante: Facilidade

  • Se tiver que pensar em fazer alguma coisa o que é que lhe sai naturalmente? Pensar? Escrever? Fazer trabalhos manuais? Raciocinar logicamente?
  • Quando era criança o que é que era mesmo bom a fazer?
  • Alguma vez recebeu um prémio e/ou reconhecimento por algo que fez? E reconhecimento por parte dos outros?
  • Qual é a coisa/capacidade que os outros tipicamente lhe apontam como sendo genial a fazer? Exemplo: em que situação alguém lhe disse “eu gostava mesmo de fazer isso tão bem como tu”.

2º Quadrante: Conhecimento/Capacidade

  • Qual é a sua formação?
  • Que disciplinas mais gostou?
  • Que tipo de atividades profissionais tem a sua família mais próxima? Com quais conviveu mais?
  • Com que tipos de atividades você conviveu na sua família?
  • Que tipo de trabalhos já fez?
  • Que livros gostou de ler?

3º Quadrante: Amor

  • O que adora fazer e faria se não precisasse ganhar dinheiro?
  • O que detesta fazer?
  • Descreva o seu hobby ou atividades que você faz sem compromisso.
  • Quais são os elementos do hobby que você poderia utilizar como carreira?

Agora que já respondeu a estas perguntas já conseguirá começar a ter alguma ideia das atividades em que possui talento. As atividades que aparecerem repetidas em várias perguntas de forma tendencial são os seus talentos mais evidentes. Mas, se ainda assim não ficar convencido pode sempre descobrir os seus talentos escondidos através da concretização destes 4 pequenos passos:

1. Faça o seu talento acontecer

É muito fácil dizer “não tenho jeito para nada”. Mas já experimentou? A experiência é a mãe dos talentos pelo que sem experimentar não pode dizer que não tem jeito. Não se deixe embrenhar nessas vozes ansiosas porque elas não são a realidade. Quer saber se tem talento na música? Experimente. Quer saber se tem talento a conduzir? Pegue num carro. Ah e não desista à primeira, porque o talento aprende-se, por isso aqui fica uma novidade: todos podemos ser talentosos em qualquer coisa, desde que para isso nos empenhemos a praticar. Lembre-se que só encontrará as suas habilidades e talentos naturais quando testar seus conhecimentos e procurar novas experiências ativamente.

2. Experimente fazer uma coisa nova todas as semanas

Ao experimentar algo que nunca experimentou (sem julgar, por isso lembre-se de não dar valor aos pensamentos ansiosos que o fazem pensar “vou ser tão mau nisto”, “nem devia estar aqui”) está a permitir-se à abertura e elasticidade mental. Ao permitir-se descobrir algo todas as semanas irá conseguir descobrir habilidades que nunca pensou ser capaz. Invista em si!

3. Experimente fazer algo que o assuste

Comece a aprender tudo o que puder sobre diferentes talentos e habilidades que lhe metam medo para desmistificar o processo daqueles que lhe parecem assustadores. Só ao desafiar-se é que poderá ver quais as suas reais capacidades. Experimentar mesmo que morra de medo é das melhores coisas que pode fazer para se descobrir.

4. Siga as suas obsessões

As pessoas estão cansadas de o ouvir falar sobre algum assunto em particular? Precisa de se conter para não falar de determinado tema? Use as suas obsessões para descobrir talentos que podem estar escondidos.

Por fim, importa relembrar os mais céticos que a psicologia comprovou desde os seus primórdios que qualquer pessoa tem pelo menos um talento, sendo que a maioria das pessoas até possuem mais que um. Deste modo, se souber quais são os seus pode começar mais facilmente a aceder-lhes e a utilizá-los no seu trabalho, de forma a conseguir obter o tal estado de “flow” que todos nós intimamente desejamos alcançar.

Print Friendly

About The Author

Daniela Ferreira

O meu nome é Daniela Ferreira e sou Engª. do Ambiente formada pelo Instituto Superior Técnico. Defendo que a função de um engenheiro é servir. É pôr a tecnologia ao serviço da população. Defendo a educação ambiental com unhas e dentes. Sou uma acérrima defensora de que a verdadeira forma de alcançar o desenvolvimento sustentável de que tanto se fala passa pela educação das gerações mais novas, e a re-educação das mais maduras. Adoro escrever (poesia sobretudo), pintar, desenhar e dançar. Não sou uma engenheira convencional. Mais do que isso sou uma mulher “de ideias fixas.” Leiam-me. Não se vão arrepender.

Related posts

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *